quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007

Pagar ou não pagar pelos links

Existe uma discussão entre os profissionais de SEO sobre a questão de ser ou não a favor dos Links Pagos ( não os links patrocinados, mas pagar para ter um link na sua página).

O ultimo bate-boca começou quando o Google colocou sua posição quanto aos links pagos: se o link fosse de origem comercial, então deveria colocar a tag nofollow, que faz com que o spider não siga ele como referência.

Danny Sullivan concordou com o Google e escreveu um post no seu blog sobre o assunto: Stop The Freak Out Over Linking.

Randfish do SEOmoz (aliás, otimo blog sobre SEO), foi totalmente contra a posição do Google e Danny quando a questão dos links pagos. Escreveu um post cujo o título era: I Disagree with Danny & the Google Engineers About Link Buying Practices.

Um ótimo post de Rand, onde diz que a tag nofollow significa que o link não garante qualidade para a página, e não que exista algum interesse financeiro no link. Em cima deste argumento, Rand redige sua defesa com as compras de links.

Pelo que parece a discussão vai dar pano para manga.

Hoje Sullivan postou sobre o programa de parcerias em seu blog, Search Engine Land. E deixa claro: os links proveniente desta parceria deverão estar, obrigatoriamente, em JavaScript, para o spider não seguir. Ah, não pode usar javascript? Tudo bem, então seu link deverá ter a tag nofollow. E completa que cada um segue o caminho que acha mais certo. O dele é colocar nofollow.

A discussão sobre link bulding é antiga no mercado de search. O que é, ou não é, justo ser feito. Eu, particularmente, não gosto muito da estratégia de comprar links. Primeiro, por ser arriscado demais. Segundo, que vai na contra mão da proposta dos mecanismos de busca. A popularidade foi a forma que os buscadores encontraram para dar relevância e credibilidade para o conteúdo da página. Se pagar for mais importante que isto, toda a teoria torna-se obsoleta.

A cadeia de links deve ser feita de modo natural, um site linka o outro para favorecer o usuário, e não para o buscador. O buscador é uma consequência de todo o processo. Se focarmos os links no ponto de vista do usuário - usabilidade-, as coisas vão ficar mais simples.

Por outro lado, entendo o ponto de vista de Randfish sobre definir um link comercial ou não. SEOmoz é a favor dos links pagos.

Link Bulding é uma tarefa que demanda tempo e paciência. Aumenta tráfego. Aumenta o numero de links que apontam para sua página. Mas se isso aumenta o peso para o algoritimo do Google, ai são outros quinhentos. Quase um jogo de azar.

A pergunta que deixo no ar é: qual é realmente o peso que o Google dá para os links?

2 comentários:

Thássius Veloso disse...

O Google em grande responsabilidade sobre os links porque é ele quem dita as regras. É ele quem diz o que pode ou não ser sucesso.

Se o Google for contra os links pagos, poderá muito bem dar ranking zero ou mesmo negativo para os blogs que fizerem uso desse método.

Paulo Rodrigo Teixeira disse...

Resposta, todo o peso.

A base do posicionamento no SERP são os links apontando para a página. Uma página pode ser super otimizada, mas se não tiver nenhum link apontando para o site, dificilmente ele aparecerá bem posicionado.

Concordo com o Google. Links comprados, só com nofollow.

Grande abraço